MANUAL DO CONCURSEIRO – O PLANO DE ESTUDO – PARTE 02

maxresdefaultOBSERVAÇÃO: PARA TER ACESSO A PARTE UM, CLIQUE AQUI.

O PLANO DE ESTUDO COMPLETO

PARTE 02

PASSO 03

A TABELA DE ESTUDO

 

Queridos alfartanos e concurseiros de todo o Brasil, vamos explicar neste passo como montar uma tabela de estudo e o porquê é tão importante  realizar esse procedimento. Uma tabela de estudo é uma ferramenta indispensável para maximizar o estudo do concursando. Quem nunca teve aquela sensação de não saber o que vai estudar no dia? #TristeSensação. Assim, pegar qualquer livro de qualquer matéria e sair folheando sem critério algum é loucura. E é ai que o plano de estudo entra. Temos a mania de estudar o que sabemos mais, porque é mais simples relembrar o que já dominamos e estudar a menos o que sabemos menos, concordam? Diante disso, o plano de estudo é a salvação para o concursando desorganizado – diga-se de passagem: 99% dos concursandos são extremamente desorganizados. ahahah!

Vou postar aqui a imagem de uma tabela de estudo e passo a passo vou explicar como montaremos.

Obs: a tabela é exemplificativa. Adapte-a para a sua realidade! =)

Em breve postaremos vários passos com concursos específicos.

Pois bem, a tabela funciona da seguinte forma:

⇒ A linha de cima marca as horas que você deve estudar cada matéria e a coluna marca as fases;
⇒ Você deve começar a estudar a primeira fase e ir passando até chegar na última.
⇒ Separamos as matérias de forma que você estude pelo menos duas matérias por dia. Mas ai você se pergunta ”por que duas matérias por dia?” Estuda-se duas matérias por dia porque em um planejamento como do INSS (por exemplo) a cada 04  dias você tem a possibilidade de rever a matéria. Dessa forma, o que foi estudado está sendo sempre relembrado. Nesse sistema, o ciclo de estudo se renova toda semana, você estuda e o que foi aprendido não sai da cabeça. Legal, não é mesmo?

Outro fator positivo é que você estuda todas as matérias e pode colocar uma carga em matérias que tem um peso maior. Essa tabela tem como carga total 48 horas. Assim você vai estudando e pode ir voltando até completar o edital. Vou postar aqui a quantidade de horas de estudo por ciclo.

Nessa tabela que montei para o INSS, por exemplo, a cada ciclo completo de 48 horas o concursando estuda as horas postadas nessa tabela. Veja que programei mais horas para português, pois é a matéria que tem mais peso, geralmente, em quase todos os concursos. Assim o aluno pode aumentar a carga das matérias que tem mais dificuldade e diminuir a carga das matérias que mais domina.

O importante é respeitar a carga horária. Imagine que você comece a estudar segunda-feira. Separe o material de estudo e comece, quando der as duas horas de estudo pare imediatamente e passe para RLM. Marque onde parou para poder começar de novo quando a tabela alcançar novamente o português. Faça isso com todas as matérias até chegar ao fim do ciclo, depois disso analise se está a contento, faça as alterações na carga horária que achar necessário e comece tudo de novo. Lembre-se, estudar é continuidade, não podemos ser peritos em uma matéria e leigos em outras. Os concursos querem os medianos em todas as matérias.

Repare que aproveito as matérias “co-irmãs” e coloco-as juntas. Direito Constitucional deve ser estudado com Direito Administrativo, pois estudando uma estuda-se a outra também.

Fizemos uma tabelinha para ser seguida por quem tem o dia todo para estudar. Organização é tudo. Se o concursando seguir esses passos por um prazo de 6 meses a 2 anos, pode ter certeza, passará em qualquer concurso público. Agora, uma coisa é fato: Muita gente não pode seguir esse ritmo, pois as tarefas do dia simplesmente impedem. Assim, a palavra de ordem é adaptar a realidade!

Não podemos esquecer que os exercícios são importantes, assim você pode reservar horários específicos só para resolução de questões da banca examinadora.

Conclusão: Esse método é muito funcional e ao contrário do que muita gente pensa ele dá um rumo ao concursando. Ser organizado é chegar mais cedo à aprovação. Temos que ter em mente que um planejamento deve ser feito de médio a longo prazo e que de certo demoramos um pouco a “pegar o jeito” de estudar, mas depois que embalamos não paramos mais. Tanto é verdade que os verdadeiros concursando e concurseiros passam em vários concursos públicos. O perfeito é ter continuidade nos estudos e não ficar ansioso pela publicação do edital. Esqueça o edital e vá estudando, pois quando ele sair você estará no topo da cadeia alimentar e engolirá todos os seus concorrentes.

 […] Continua na próxima postagem!

 



Um comentário sobre:
MANUAL DO CONCURSEIRO – O PLANO DE ESTUDO – PARTE 02

  1. Mick - Florianópolis/SC comentou em :

    Excelente postagem!
    Obrigado por disponibilizar, Leticia! ;)
    #SIMBORAESTUDAR