Depoimento aprovado 1º lugar no concurso PC DF, cargo de Perito Criminal.

Meu nome é Gabriel Souza Cruz, tenho 27 anos, sou de São Paulo, capital, e fui aprovado em primeiro lugar para o concurso da PC DF cargo de perito criminal.aprovado_pc_df



Por que decidiu estudar para concurso público?

Decidi estudar para concursos públicos pois percebi que o setor privado estava entrando em uma profunda crise econômica, as remunerações não estavam de acordo com o piso da carreira além do risco de demissão ser iminente. A questão de mercado tinha me desmotivado. No último ano de graduação decidi então saber mais sobre as áreas públicas, em especial as carreiras policiais. Assisti videos do Alfacon sobre o pessoal aprovado nos concursos de 2014 da PF e 2013 na PRF e aquilo foi como um estalo em minha cabeça. Percebi que talvez essa seria uma boa alternativa. Então do zero comecei os meus estudos, sempre acreditando que seria possível.

Quanto à sua preparação, por quanto tempo estudou até conquistar esta aprovação? Como era sua rotina de estudo? Se dedicou mais a algum conteúdo ou disciplina específicos? Por quê? Como foi sua experiência? Dedicava mais tempo às básicas ou específicas, ou dividia de igual para igual?

Comecei os estudos em maio de 2015 e minha aprovação no cargo de Perito Criminal aconteceu em junho de 2016. Minha rotina de estudos no começo se baseou em aprender o conteúdo comum aos editais da PF e PRF. No último ano de graduação eu preferi estudar a procurar um estágio na minha área, assim ao chegar em casa depois das aulas na faculdade eu tentava aprender os conteúdos de direito. No começo tudo aconteceu de forma relativamente desorganizada pois eu tinha muita dificuldade em organizar os estudos, não sabia o que era artigo, caput, parágrafo, nada de nada. Aos poucos fui pegando intimidade com as matérias, me organizei melhor e então tudo começou a fluir.

No dia-dia eu tentava estudar pelo menos 3 horas por dia, sempre focando naquilo que nunca tinha visto antes, como as partes de direito e RLM. Português eu tentava atacar diretamente nas fraquezas, sem rodar todo o conteúdo. Minha base de ensino médio foi razoável então o enfoque maior sempre foi nas específicas, mas claro que nunca negligenciei as básicas pois sei do peso que elas têm.

Você apenas estudava para concurso ou precisava conciliar os estudos com trabalho? Como fazia para conciliar?

Até o final do ano de 2015 conciliei com a faculdade, sempre estudando no período da tarde ou à noite, dependia de quando tinha aula, depois me dediquei integralmente aos estudos de concurso público.

Você estudou com quais materiais? Seus materiais e aulas tinham todo o conteúdo necessário para conseguir a aprovação?

Estudei com vídeo aulas que o Alfaconcursos disponibiliza no youtube, com apostilas do alfa que meu tio me deu além de outros livros. Todo esse material foi suficiente para obter o resultado sonhado.

Você esteve motivado durante todo o período e preparação? Pensou em desistir? O que o desmotivou? O que o manteve ou o fez voltar a ficar motivado com os estudos?

Não. Acho que na realidade é quase impossível se manter 100% do tempo motivado. Momentos de questionamentos surgem, é fato. Mas era nessas horas que eu abria vídeos da série Vida no Presencial ou qualquer outro vídeo de pessoas aprovadas, vídeos da academia da PRF e etc, era como uma injeção de ânimo. Apesar desses momentos de fraqueza nunca pensei em desistir pois pensava que já tinha acumulado certo conhecimento e mesmo que pequeno não poderia ser descartado.
O que me manteve motivado foi obter bons resultados em outros concursos.

 

Durante a preparação, sabemos que é preciso abrir mão de muita coisa, amigos, família, festas, enfim… como foi este período para você? Abdicou de muita coisa? Pode dar exemplos? Como foi passar por isso?

Realmente, nesse período é necessário abdicar de certos prazeres. Muitas vezes deixei de ir a eventos com amigos, festas e etc. Dava preferência para festas que não fossem comprometer o dia seguinte, ou ia naqueles que julgava inescusáveis. O período foi de distanciamento de amigos e colegas e aproximação da família que sempre apoiou. Sempre estudei em casa, então não tinha amigos com o mesmo objetivo como é o caso de quem estuda no presencial. Vejo as amizade em que há cumplicidade de objetivo como uma fonte de motivação, às vezes a vida solitária de estudos é massante e desmotivante.

Você é casado, namora, mora com os pais? Sua família, amigos ou as pessoas que são próximas aceitaram essa sua rotina de estudos? Apoiaram? Teve alguém que acabou se distanciando?

No período de preparação eu morava com meus pais e minha namorada estava em outro país se preparando para outra prova, o que foi um fator positivo pois ambos estávamos focados na provas. Meus pais desde sempre me apoiaram, expliquei a eles quais eram os objetivos e o plano traçado. Pensava que seria melhor galgar um bom cargo público agora, não estava confiante com o futuro profissional no setor privado.

Sim, a preparação resultou em distanciamentos, mas eu julgo que foi devido a minha mudança de comportamento. A disciplina exigiu que eu deixasse certos encontros com colegas em segundo plano.

 

Você tentou outros concursos públicos antes dessa aprovação? Tentou fazer outras provas apenas para treinar? Como foi a sua experiência?

Sim, apesar de sempre estar estudando para as áreas policiais em novembro de 2015 prestei um concurso para Geólogo na prefeitura de SP. A disciplina que eu tinha adquirido nos meses anteriores, a familiaridade com tópicos do edital me encorajaram a prestar esse concurso, tive de pausar por 2 meses os estudos em algumas matérias e focar em geologia. Por fim fui aprovado neste certame, o que me deixou mais confiante.

Outro momento ímpar foi o concurso para Oficial de Chancelaria do Ministério de Relações Exteriores onde fui reprovado, porém percebi que em pouco tempo de estudo em matérias que nunca tinha visto consegui um bom desempenho e naquelas que deixei de lado por julgar já saber fui mal. Ou seja, aprendi a não subestimar matérias e também a confiar que era possível aprender até mesmo aquilo que era extremamente estranho ao meu repertório.

Fazer provas para manter acesa essa chama foi fundamental, além de balizar os estudos.

 

Começou a estudar com edital aberto? Caso não tenha sido este o caso, como foi para se manter motivado mesmo sem edital previsto?

Não. Quando decidi estudar não havia edital aberto, porém sabia que isso era uma vantagem. Minha motivação vinha do simples fato de saber que eu estava construindo algo sólido, que cedo ou tarde o resultado ia chegar e ia valer a pena. Gostava muito de ver aqueles que já tinham chegado lá!

Como conheceu o AlfaCon?

Conheci o AlfaCon pelo Youtube naqueles vídeos de aprovados da PF 2014.

De que forma o AlfaCon te ajudou nessa jornada?

O AlfaCon me ajudou em vários aspectos, desde o material e conteúdo, vídeos motivacionais aos vídeos informativos acerca do que estava acontecendo no mundo dos concursos.

Você utilizava alguma técnica específica para aprender e memorizar o conteúdo? Pode compartilhar suas técnicas com a gente?

Gostava muito de trabalhar com exercícios de provas anteriores, primeiro estudava o conteúdo depois ia aos exercícios. Fazia resumos dos exercícios que errava e assim os fixava na massa do sangue, principalmente os erros cometidos em provas de concurso real. Meus resumos eram uma fonte de revisão rápida, algo que também julgo fundamental, sem revisão o conteúdo se perde.

Qual foi a maior dificuldade que enfrentou no período em que estudou?

Sem dúvida a maior dificuldade foi a incerteza se eu realmente ia conseguir. Apesar de confiar que estava fazendo um trabalho correto, a incerteza que surge no plano de fundo incomoda muito.

O que fez para superar esses obstáculos?

Pensava em tudo aquilo que já tinha estudado até então, nos feriados “perdidos”, etc. Não seria inteligente abandonar o que fora construído sem chegar ao resultado. Fazendo uma analogia eu pensava que seria como abandonar uma casa que eu coloquei todos os tijolos e que faltava fazer apenas parte elétrica e colocar mobília. Não dava mais pra parar.

Quando o concurso se aproxima sabemos que é difícil controlar a ansiedade, nervosismo e até mesmo insegurança. Como foi pra você? Como superou? Potencializou o estudo nos últimos dias ou tentou relaxar um pouco?

Potencializei, não deixei de estudar nem no último dia. Lógico que eu não estudei o tempo todo aprendendo conteúdo. Um ou dois dias antes das provas eu tentava memorizar coisas que teriam de ser memorizadas.

Com o edital aberto eu fiquei muito concentrado, pensava que era possível. Dormia e acordava pensando no concurso.

O que você acredita que tenha sido realmente efetivo na sua preparação? Houve falha? Onde acredita que tenha falhado?

A realização de simulados, muitos exercícios e revisão foi efetivo, realmente fez a diferença.

Sim, falhei. No começo não tive orientação de nada então perdi muito tempo estudando coisas que não caiam, usando materiais desatualizados e incompletos. Esse período de adaptação até aprender a caminhar me fez perder um tempo valioso.

Para finalizar, qual dica você deixaria para aqueles que estão nessa caminhada rumo à aprovação e pensam em desistir?

Minha dica é saber que vai valer a pena, que as dificuldades são momentâneas e que ao fim você vai se orgulhar.

Pense no exemplo da casa, talvez vocês já tenha colocado muitos tijolos na sua casa, construiu quase tudo. Não faz sentido abandoná-la agora, quando falta apenas terminar. Ela é sua, fruto das suas horas de esforço! Continue!

Pouco a pouco e acreditando todos chegamos lá!

Confira o vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=fwudQSn4m0k&t



2 comentários sobre:
Depoimento aprovado 1º lugar no concurso PC DF, cargo de Perito Criminal.

  1. Ricardo Borges comentou em :

    Gente,

    Tira essa crase ai dessa propaganda do evento “série TRE-RJ” – à partir do dia 7 de setembro de 2017 -, pega mal um cursinho que ensina, errando em coisas bobas.

    • Leticia Teixeira - Alfacon comentou em :

      Encaminhado =) Obrigada!