O SABOR DO LIMÃO

limão2Salve, salve, Alfartanos! Hoje quero começar convidando você para fazer uma experiência. Não precisa sair de onde você está, fique aí mesmo, sentado. Apenas imagine concentrado, imagine de verdade, entrando na história e seguindo calmamente os passos da situação que descreverei abaixo:

Visualize sua casa e a cozinha de sua casa. Não precisa ser a cozinha que você tem, imagine aquela que você gostaria de ter. Pense nas cores da parede, do chão. Visualize os móveis e eletrodomésticos que você gostaria de ter. Decore-a da maneira que você desejar. Coloque o tom de luz que melhor lhe agradar. Continue imaginando, e veja uma geladeira, daquelas bem bonitas. Em pensamento, vá até a geladeira. Caminhe até ela. Caminhe calmamente até onde ela está. Segure a porta, e puxe. Pare por um instante em frente a geladeira, e sinta o frescor do ar gelado refrescando seu corpo, sinta o aroma dos mantimentos, e veja como ela está cheia. Sim, ela está cheia. Preencha a geladeira com as coisas que você gosta. Imagine onde quer cada coisa. E agora, eu quero que você procure um limão. Sim, existe um limão nessa geladeira. Você o encontra, sente a casca da fruta geladinha, e uma consistência suculenta. Você retira o limão, leva até a pia, coloca sobre ela, procura uma faca. Agora quero que você imagine a faca cortando o limão. Lentamente partindo-o em duas partes iguais, dividido ao meio. A faca fica com um pouco de suco, aquele suco gelado do limão. Você então pega uma das partes, e pinga o suco azedo em sua língua, sentindo o sabor daquele líquido gelado e refrescante.

Conseguiu imaginar? Ao imaginar, você salivou pensando no limão e no suco daquela fruta? Teve uma sensação de que realmente o limão pingava em sua boca? Sim, você deve ter salivado. Mas o limão não era real, a situação não era real. Como foi possível que o corpo respondesse fisicamente a algo apenas imaginado?

Sim Alfartanos, essa é a prova de que quando imaginamos algo com vontade e determinação, nosso corpo todo corresponde a isso. Nosso corpo obedece aquilo que nossa cabeça pensa. Basta acionarmos nosso cérebro, que num instinto de preservação, o nosso corpo acionará os dispositivos necessários para a produção física de substâncias que serão utilizadas em prol daquilo que pensamos. Assim ganhamos força, assim superamos obstáculos, assim protegemos a nós mesmos. Quem nunca agiu de maneira inesperada num determinado momento de tensão? Você não sabe a altura que pode saltar, até ser obrigado a saltar para fugir de algum imprevisto.

Temos respostas corporais reais, aos impulsos criados pelo nosso cérebro. A capacidade da nossa mente é fascinante. O poder que temos para expressar na realidade, aquilo que imaginamos, é gigantesco.

Para realizar algo, basta que antes imaginemos confiantes e sem duvidar da poderosa capacidade da nossa força de vontade. A ação é uma consequência dos nossos planos. Agir, é materializar o pensamento. Se pensamos coisas ruins, agiremos de maneira ruim. Se pensamos coisas boas, faremos coisas boas. Se pensamos em não desistir, não desistiremos. O homem foi capaz de feitos incríveis, que viraram reais, depois de terem sido pensados.

Pense que é um vencedor, acredite que é um vencedor, e seu corpo agirá como o corpo de um vencedor. Pense que é corajoso, imagine coragem, e seu corpo agira como o corpo de alguém destemido. Cultive o sonho de chegar aonde você deseja, e seu corpo trabalhará com todas as forças para que você chegue.

A vitória pertence a quem acredita nela por mais tempo.



413 comentários sobre:
O SABOR DO LIMÃO

  1. FERNANDO NUNES comentou em :

    Tche show de bola!

    Firme, forte , rumo a aprovação!

  2. José Augusto comentou em :

    Força!

  3. Danilo Rodrigues - Bahia comentou em :

    “O segredo da força está na vontade.”

    Boa noite, Alfartanos. Fiquem com Deus!