EVENTUAIS INJUSTIÇAS – SEGUIR EM FRENTE

ALFARTANOSApesar de o concurso público ser o meio mais democrático de acesso ao serviço público. eventualmente podemos nos deparar com algumas injustiças, o sistema não é perfeito. 

Exemplo atual disso foi uma questão da FCC (prova do TRT1º Região – cargo de técnico judiciário):

“Conforme previsão contida na Constituição Federal, são órgãos da Justiça do Trabalho no Brasil:

a) Tribunal Superior do Trabalho, Tribunais de Justiça e Varas do Trabalho.
b) Superior Tribunal de Justiça, Tribunais Regionais do Trabalho e Juntas de Conciliação e Julgamento.
c) Tribunal Superior do Trabalho, Tribunais Regionais do Trabalho e Varas do Trabalho.
d) Supremo Tribunal Federal, Tribunais Regionais do Trabalho e Varas do Trabalho.
e) Tribunal Superior do Trabalho, Tribunais Regionais do Trabalho e Juizados Especiais Trabalhistas.”

A Banca considerou como correta a alternativa “C”, mas na realidade, não existe alternativa correta. Vejamos o que diz o art. 111 da Constituição Federal:

“Art. 111. São órgãos da Justiça do Trabalho:
I – o Tribunal Superior do Trabalho;
II – os Tribunais Regionais do Trabalho;
III – Juizes do Trabalho.”

Uma pegadinha clássica de prova é trocar “Juízes do Trabalho” por “Varas do Trabalho”, conhecimento que já foi cobrado inclusive em provas da PRÓPRIA FCC!

Não anularam a questão dizendo que segundo a doutrina Varas do Trabalho e Juízes do Trabalho são a mesma coisa… Maravilha, concordo. Mas o enunciado da questão disse “Conforme  previsão contida da Constituição Federal…”, e conforme a Constituição Federal, a não ser que eu tenha sérios problemas mentais, está escrito Juízes e não Varas (dessa forma deveriam ter sido fiéis ao comando da questão e ao texto constitucional).

Tudo bem, isso faz parte, a partir de agora nas minhas aulas vou dizer para os alunos que, na hora de responder questões da FCC com esse conteúdo, apertem um botão de “emburrecimento temporário” e respondam conforme ela quer (pois esse é o nosso objetivo, passar na prova.

Não criei esse post apenas para choramingar sobre essa questão, meu objetivo é mostrar que isso acontece em provas, não há o que fazer e que isso não é motivo para desanimar, pois isso afeta a todos.

Lembro-me muito bem de uma prova que fiz de TRT (dessa vez foi pela CESPE), na qual que cobravam na prova subjetiva um estudo de caso. Nessa prova perguntaram, dentre outras coisas, quais os itens que deveriam constar no auto de penhora elaborado pelos oficiais de justiça. Na minha prova havia quase todos os itens cobrados, mas nesse quesito minha nota veio como zero (haviam vários quesitos e nos outros eu tinha obtido uma boa nota). Recorri, mostrei para o examinador exatamente as linhas nas quais abordei esse conteúdo, que claramente estava na minha prova. A resposta ao meu recurso veio simplesmente assim “Não, não está”. Foi o mais perto que cheguei de entrar com um mandado de segurança, todo mundo me incitava a fazer isso, pois era claro que meu recurso nem ao menos havia sido apreciado e que  uma injustiça havia sido cometida.

Caso o recurso tivesse sido provido, aumentaria menos de 1 ponto na minha prova, mas essa diferença me faria pular quase 20 posições e para dentro das vagas.

Optei por não entrar com um mandado de segurança, sabia que o Judiciário tem como padrão não se meter esse tipo de assunto, ele intervém apenas em casos de alta gravidade, como fraudes.

Simplesmente deixei essa prova para lá e segui em frente. Continuei estudando e decidi não remoer esses fatos, do contrário, ficariam me assombrando e atrapalhando nas provas futuras.

Poucos meses depois fiz a prova do TRT da 15º Região, muito mais concorrida, na qual passei em 1º lugar e logo após a homologação estava trabalhando. Consegui minha remoção por permuta aqui para o Paraná (parei em Cascavel, cidade que eu nem conhecia antes, na época queria ter ido para Maringá).

Depois de algum tempo morando aqui resolvi me dedicar às aulas, sempre tive interesse nisso. Encontrei o Alfa, conheci o Daniel Sena e o Evandro Guedes e vi pessoas tão apaixonadas por isso como eu, que realmente acreditam no poder de mudar vidas que o concurso tem. Eles acreditaram em mim, viram que eu também tinha essa energia, essa vibração em ajudar as pessoas a mudarem de vida e me deram uma oportunidade, da qual sempre serei grato.

Me realizei profissionalmente e pude desenvolver minha vocação, de uma forma que jamais teria sido possível se eu tivesse ido parar em outro lugar.

Se eu tivesse ficado remoendo a injustiça anterior, estaria, quem sabe, até hoje arrastando isso comigo, como uma bola de ferro na ponta de uma corrente amarrada em minha perna e com certeza não estaria tão realizado profissionalmente como estou.

Injustiças acontecem, levar ferro em prova faz parte, estudar pra caramba e ter um branco na hora, tudo isso é normal. O que não pode acontecer é deixar isso te impedir de alcançar seu sonho. Todos tropeçam nessa jornada que é o concurso público, não há vergonha alguma nisso. O importante é levantar, sacudir a poeira e seguir em frente para a próxima batalha, de cabeça em pé!

Só conheço duas saídas para essa vida de concurseiro:

A primeira é a desistência. Nessa saída tudo é jogado fora; as horas de estudo, o dinheiro investido, os momentos longes dos entes queridos para estudar, seus sonhos, tudo!

Nessa modalidade, tudo aquilo dito por pessoas maldosas torna-se verdade (“Sabia que ele(a) não era capaz; sabia que estava enrolando; sabia que não quer nada com nada”, etc).

A segunda saída é a aprovação. Ver o nome publicado no Diário Oficial é uma sensação que até hoje me arrepia só de lembrar. Essa é a saída que queremos para vocês.

Não mentirei dizendo que ela vem fácil e de forma indolor. Antes dela chegar, passará várias horas estudando, perderá contato com muita gente, deixará momentos de lazer de lado, abrirá mão de muitas coisas. Sim, antes de chegar é sofrido.

Mas prometo o seguinte, que se você realmente se dedicar, acreditar nos seus sonhos e em você, se realmente estiver disposto a pagar esse preço, o resultado chegará. Quando ele chegar você vai dizer “Valeu a pena!”, isso eu posso garantir.

Deixe de lado tudo que lhe atrapalha, foque nos seus estudos, dedique-se de verdade, levante-se após cada tombo, mate um leão por dia. Essa jornada só tem duas maneiras de terminar,  mas quem escolhe o final é você! Ninguém nasce vencedor ou perdedor, você escolhe qual dos dois será!

Um grande Abraço.
Thállius Moraes



69 comentários sobre:
EVENTUAIS INJUSTIÇAS – SEGUIR EM FRENTE

  1. Ly comentou em :

    Nossa que legal heim…muito legal mesmo!
    Muito bacana compartilhar com a gente
    Boa Tarde!

  2. RosangelaFelix comentou em :

    Não tenho nem palavras pra descrever o que eu senti ao ler essa postagem, Thállius!
    Tudo o que eu precisava para um dia como hoje… Começar a semana assim é bom demais!!!
    Simbora Alfartanos!!!

  3. Tici comentou em :

    Thallius, mais uma vez obrigadaaa!! Vc é um a fonte de ânimo necessária! Forte abraço!

  4. Alfartano SP comentou em :

    Valeu pela grande força, Thállius. Depois de eu ter passado um dia LUTO pelo ferro que levei na prova de digitação do TJSP (não consegui digitar o texto todo), mesmo tendo treinado muito (até quase cair os dedos) não fui capaz de manter o controle emocional durante os 11 minutos mais infernais da minha vida. Massss, esse Concurso passou e muitos outros virão pela frente. Hoje mesmo já retomei meus estudos…. assim como muitos outros alfartanos espelhados pelo Brasil.

    Fé, Força e Rumo à Aprovação.
    Alfartanos, Força!!!!

    • marcoshonorio comentou em :

      Alfartano SP, faltou muito do texto sem digitar?

      Creio que uma linha tinha de 50 a 60 caracteres, se você deixou de digitar uma linha ou algumas palavras, mas digitou bem o restante do texto, talvez você ainda consiga. Espera a classificação sair, não sofra antecipadamente.

      Continue estudando firme até conseguir ficar entre o número de vagas dentro do edital.

      Faz mais de 2 anos que estudo para concursos, sou “excedente” do concurso do INSS 2012, continuei estudando e com a benção de Deus já me considero um
      Escrevente do TJ SP.

      Força e fé, a preparação encontrará a oportunidade.

      Abraço.

    • Alfartano SP comentou em :

      Então Marcos, infelizmente não será dessa vez. Acho que não cometi muitos erros, mais faltou muito para eu terminar – é triste reconhecer, apesar de eu ter pontado bem na primeira fase, cai na segunda pelo desespero.
      Fico feliz pela tua vitória. Desejo muita força e sucesso!!! Valeu!!!

  5. Geani PertelPertel comentou em :

    Isso aí! A nossa hora vai chegar!
    Obrigada pela força!

  6. Caroline Melo comentou em :

    Ótima postagem! Nos abre os olhos quando pensamos em desistir e estamos desanimados!!!

    Que eu escolha como isso terminará!! De uma forma VITORIOSA!!!!

  7. sorellamendes comentou em :

    E dae alguém que tenha feito a prova da DPE-RS?
    Como foram?
    Achei bem complicadinha…..

    • Diego comentou em :

      Tirando a chuva em Santo Ãngelo que fez com que muuuuita gente fizesse a prova literalmente molhado…
      …Fui aparentemente bem…
      …também achei a prova com nível de dificuldade de médio pra alto .

    • Dunia comentou em :

      Técnico ou Analista? A de Técnico estava bem boa, pena que eu não me dediquei muito para Legislação Institucional, já que não era meu concurso foco… Achei Dir Adm a parte mais chatinha, de resto bem como vimos no curso. O tema da Redação foi ótimo também… Modernidade e Urbanismo…

    • suzana comentou em :

      fiz para técnico,achei a prova bem acessível caiu o que realmente estudei,mas a redação foi meu fracasso,saí da prova arrasada,fiquei sem chão, não conseguia estruturar a redação sei que talvez nem passe por esse vacilo ,mas vou continuar MPU é minha meta agora,um abraço.

  8. Geovane Bispo -SP. comentou em :

    Olá, boa tarde alfartanos!

    Alguem aí já fez a correção dos exercícios de Contratos Administrativos? Acredito que sim.
    Pois bem, eu queria uma ajuda de vocês quanto à questão 10 do bloco de exercícios. Porque o Professor Marcelo Adriano fala no primeiro momento que é a letra B, depois ele disse que é a letra D. Então, gera um equivoco da parte dele. Aguém viu isso nas correção da questão 10 dos Contratos Administrativos? Ajude-me!

  9. Mariana Ferreira comentou em :

    Ah Thallius, pra técnico não dá, sério mesmo. Se você foi realmente bem, de 100% a 96% da prova no preeliminar desconfie, pois vai saber o que será ou não anulado, as questões dúbias que são muitas, as fora do edital que você nem sequer estudou e nessa brincadeira 1, 2 pontos mudam você 100 posições e vc não é chamado. Fora o desvio padrão que torna os critérios de desempate inúteis. Você precisa sim ir muito bem, mas só isso não basta. E isso frusta, sem dúvida. Mas ok, bola pra frente.

    • cesarhalley comentou em :

      Força Alfartana!!!

      Realmente para técnico tem muitos obstáculos depois do dia da prova, ainda mais se vc foi bem, sempre tem aquela expectativa sobre a anulação de alguma questão e tudo mais. Mas se vc for bem, a vaga é sua sim.

      Desanima não!!

      _Um cometa de abraços \o/_

  10. byannka07unb comentou em :

    Alguém tem o email do professor Marcelo Adriano?
    Estou precisando falar com ele urgentemente.
    Se alguém puder ajudar eu agradeço.

    • monitora scheyla Xanxere - SC comentou em :

      olá sou montitora online será que posso lhe ajudar?

    • byannka07unb comentou em :

      É sobre as apostilas…perguntei para o Che por aqui e ele me disse que só o professor Marcelo Adriano sabe responder minhas perguntas…rsrs
      mas valeu a ajuda…se alguém souber o email é realmente importante pena que só ele pode me responder =/