SÉRIE HISTÓRIA DE VENCEDOR! CONHEÇA A HISTÓRIA DE QUEM VENCEU NOS CONCURSOS MAIS DIFÍCEIS DO BRASIL!


Aos 30 anos, Demétrio de Macedo Pepice, é agente fiscal de rendas da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo, cargo que oferece salário inicial de R$ 12 mil. Segundo colocado no concurso realizado em 2006, Demétrio garante que se preparou por três anos. Na ocasião, recém-formado em engenharia mecânica pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP), ele considerou o salário da carreira pública muito melhor do que ganharia na área em que se formou.

Com pai agente fiscal de rendas e mãe auditora da Receita Federal, conhecia bem a carreira pública e decidiu apostar nos estudos. A preparação para passar em seu primeiro concurso, para inspetor da Comissão de Valores Mobiliários, foi de nove meses.

 “Eu fazia cursinho de manhã e estudava sozinho o resto do dia. Depois de um tempo, somente fazia matérias  específicas e passava dois terços do meu tempo estudando individualmente”.

Foi o primeiro colocado no concurso da CVM e também passou no concurso para técnico da Receita Federal, cargo atualment denominado de analista. Escolheu a CVM, mas não desistiu de buscar seu objetivo, que era ser auditor fiscal da Receita Federal. Por isso, durante dois anos estudou de cinco a oito horas  e durante os finais de semana. No final de 2005, veio a recompensa: Demétrio foi o primeiro colocado no concurso para a Receita Federal.

Quando se preparava para assumir o cargo foi publicado o edital do concurso para agente fiscal de rendas da Secretaria da Fazenda de São Paulo. Como, na época as condições e rendimentos eram melhores, resolveu concorrer. Passou na segunda colocação. Como resultado, trabalhou um mês como auditor e assumiu o posto de fiscal do ICMS. 

Atualmente, trabalha na área de informática.“Concurso é uma coisa de longo prazo. A pessoa precisa se preparar para deixar muita coisa da vida de lado. O resultado vai vir com o tempo. É preciso possuir muita perseverança”, observa. Para ele, o segredo de um bom desempenho é ter em mente que está estudando para um teste. É preciso aprender os princípios teóricos básicos e depois focalizar em exercícios. “Em mais da metade do tempo resolvia exercícios de provas antigas”, lembra.

Hoje, Demétrio aproveita as noites e finais de semana livres para descansar e se divertir. “Saindo do trabalho, não tenho com o que me preocupar. Em casa posso fazer outras coisas. Tenho uma qualidade de vida que muitos amigos que trabalham em empresas privadas não possuem”, destaca!

CONFIRA O VÍDEO



Os comentários estão encerrados.